Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e coisas minhas.

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e coisas minhas.

29
Nov18

Os insultos gratuitos

m.

Anônimos e gratuitos nas redes sociais. Dão que pensar. Estava s ler sobre um qualquer programa de tv. E de repente e de todas as opiniões chegam-se aos insultos gratuitos dando azo a actos de violência verbal.

Quando o que queres é descontrair,  ler as fofocas sobre um determinado programa.  Somos confrontados com uma vontade de bater em retirada daquelas redes que nos apanham desprevenidas e são desrespeitosas dos outros. 

31
Out18

Andam morcegos a voar no meu blogue...

m.

....e eu assustada como tudo, que já tive o desprazer de ter um encontro de fugir de imediato, a correr a sete pés (mas não sei onde fui buscar os outros cinco) de um morcego caído com as asas abertas e aqueles olhos de susto (meu não dele), parado ali mesmo ao lado da porta da condutora....claro que entrei pelo lado do passageiro, que achou aquilo ainda mais assustador do que o próprio morcego, o parvalhão.

O morcego lá ficou caído, espezinhado por quaisquer rodas, até que uma alminha caridosa (não esta) o retirou e o devolveu a um qualquer cemitério de morcegos....

 

Feliz Noite das Bruxas....vulgo Halloween

30
Out18

Trabalhar com felicidade ou felicidade no trabalho

m.

Sabes que estás bem no trabalho, quando te dizem:

- Só falam de trabalho e o essencial;

- Recados não passam de uns aos outros;

- Almoçam no serviço e sozinhos;

- Não fazem qualquer convívio dentro ou fora;

- Alguém assobia para o lado e não quer saber;

- Quando resolvem problemas, mal, nem se preocupam em refazê-los;

- Não há respeito pelas hierarquias....

 

.....E dás-te conta que no teu local de trabalho, não se passa nada disso,  todos trabalham para o mesmo fim, todos se respeitam uns aos outros, e convivem dentro e fora.

 

Somos uns curtidos e divertidos e muito trabalhadores..... e sobretudo um grupo coeso que se entreajuda com um fim maior. 

 

 

 

 

17
Jul18

Despertares

m.

Acordei com o toque do telemóvel, mas não o toque do despertar, e assustei-me, faz parte das memórias distantes de cada vez que o telemóvel tocava o meu coração começava a bater a "mil por hora" (cientificamente impossivel), mas era a sensação, por motivos que agora não vêm ao caso, e consigo perceber mal a identificação, abrir os olhos, não ter os óculos à mão, as horas, foi difícil perceber o que se passava e assutei-me logo, porque o ser humano está programado para isto, pensar logo o pior, mas depois ouvi uma vozinha:

"- Bom dia, já estás acordada?"

Contrariamente ao meu mau humor matinal, desta vez respondi com entusiasmo e felicidade.

Mas quando expliquei que só costumava despertar dali a meia hora, a vozinha lá do outro lado responde

" -  Então vai lá dormir! "

Beijinhos e um bom dia para ti também.

 

 

 

02
Ago17

Really ???

m.

Há pessoas, que até para pedir café são complicadas!!!!

 

Sim, isto é verdade, pessoas que  complicam até o simples (acho eu, que nunca tirei um café naquelas máquinas, que me parecem ET´s), acto de tirar um café, uma bica, o que lhe queiram chamar, por isso e tendo mesmo muito respeito e alguma amizade pelas senhoras que tiram o café, acho que implicar por implicar me parece uma parolice e um despropósito, que tira a vontade de quem está na fila, de permanecer calada.

 

 

25
Jul17

O Respeito ficou em Casa!!!

m.

 

Cheguei cedíssimo a praia, porque o ar da manhã é sempre mais benéfico para a saúde,  a praia estava praticamente vazia, os merendeiros estavam a tomar o pequeno almoço e ainda não tinham ido "marcar" o lugar na praia, coisa que fiz, deixei as minhas coisas, e toca a fazer um exercício matinal de alguns kms, quando regresso, feliz e encantada, porque o exercício foi excelente para a saúde física e mental, começo a preparar-me para o meu banho de sol, e começo a perceber, que vinha ali muita gente...

.... toda junta e a berrar uns com os outros, e começam a dirigir-se para perto do meu espaço,  começam a ocupar tudo com malas carregadas de farnel (não o deixaram no pinhal, porquê???), e quase que me atropelam, a sério temi, pela minha pessoa estendida na toalha e descansadinha, a confusão foi de tal ordem, que tive mesmo de me indispor e perguntar se queriam que saísse para não incomodar, que parolos a sério, armados em parvos,  invasores de espaço,  ainda havia espaço para o mega-grupo deles ficarem todos juntos,  não havia nenhuma necessidade de fazerem aquela figura, com outras pessoas mais afastadas a olhar, para eles, assim, ficaram ao pé do caixote do lixo (que nojo), entre, com um casal, que tinha deixado o chapéu e as toalhas estendidas, não se sentando nas toalhas e debaixo do chapéu por pouco, a minha pessoa, e outro casal de velhotes que também os ouvi resmungar porque os parolos dos filhos dos parolos estavam a atirar a bola e areia (não bastava o vento) para eles. A sério, esta gente não tem respeito por nada nem ninguém, vão para algum lado e acham que é tudo deles, sem respeito por quem já está e pelos outros, o espaço público é de todos, mas respeitar sempre em vez de passar por cima ou pisar.

Bom no meio de tanta parolice, e na hora de almoço, estava eu a degustar o meu farnel, um casal os mais idosos do grupo, e possivelmente os mais civilizados, ofereceram-me presunto e "binho", não resisti a tanta simpatia e tive de perguntar de onde eram, somos do lugar X, caiu-me tudo quando disseram o local, ainda por cima são dali, bom recusei educadamente os oferecimentos e lá me contaram uma outra ida à praia deles, okay, percebi mesmo para serem do local X, a praia é todo um acontecimento.

Um horror, eu consegui o meu espaço, estive descansada a ignorá-los e a ouvir música, a ler um excelente livro, e quando me apetecia, sacudia,  a toalha, levantava-me, entrava e saia como se fosse dona do meu bocadinho e do deles..toma lá que é para aprenderes, senhora loira, mal educada.

Felizmente que de tarde havia apenas música em alto som, mas até gostei da música, e  assim não queimei bateria do telemóvel,  e estavam descansadas nas toalhas a fazer hora para o banho,  mas o que aconteceu incomodou-me, envergonhou-me vamos ser estúpidos e mal educados só para mostrarmos que estamos ali e fazemos um basqueiro.

 

É por estas e por outras que depois nós os Portugueses temos má fama. E não havia necessidade, há que ser civilizados e respeitadores seja aqui seja na "China".

 

10
Jul17

A falta de civismo e de respeito...

m.

... é uma das coisas que me põe furibunda, indignada, e à beira de querer gritar com aquelas pessoas que pensam que podem passar por cima de todos.

Ontem o trânsito esteve interrompido na A24, entre a saída Lamego-Régua, e claro a tempo os senhores da BT, estavam a parar os carros, mas há sempre aquele tuguazinho que acha que o senhor polícia o vai deixar passar, ou então grita indignado mas porque é que vocês não andam, e ala faixa da esquerda toda para eles, porque a da direita estávamos em cumprimento, parados e resignados. Felizmente a paragem não foi muito tempo, e assim que o heli aterrou a polícia abriu as vias, senão estava a prever um motim por ali, porque aquela hora todos querem chegar a casa stressados do fim de semana.

03
Jul17

Tenho pena das pessoas invejosas

m.

Porque sinceramente no fundo, bem lá no fundinho do seu ser, são uns tristes, uns infelizes, não tem mas querem ter, mas pouco ou nada fazem para alterar a situação do ter ou do ir, ou do fazer, como o resto das pessoas normais.

Não percebem que se as pessoas têm, vão ou fazem é porque organizam a sua vida para conseguir aquele objectivo, e também o que não pensam é que para atingir aquela meta, se calhar optamos por outras coisas porque o que nós queremos, vamos conseguindo, porque trabalhamos, sacrificamonos, vamos á luta, fazemos kms, queimamos pestanas, gastamos dinheiro, abdicamos de muitas coisas,  mas não invejamos o que os outros têm, porque nós trabalhamos por aquilo que queremos.

30
Jun17

Trombas pelas manhã......

m.

Bom, hoje fui a um local e ao tentar fazer uma pergunta, aparece-me a cara mal encarada da funcionária, que a sério com aquela tromba a atender o público, coitadas das pessoas que precisem de a consultar hoje, que horror.

Há que saber separar e as pessoas não têm a culpa dos nossos problemas, e não têm de ser atendidos com umas "trombas" mal encaradas que só apetece fugir delas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Em destaque no SAPO Blogs
pub