Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e coisas minhas.

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e coisas minhas.

Dezembro 04, 2017

m.

E aconteceu, passei lá, onde há um mês e meio aconteceu uma grave e terrível tragédia, Coimbra, Penacova, Santa Comba Dão, Tondela, Viseu, Castro de Aire, (...), podia continuar e nem assim conseguia exprimir os meus pensamentos, que são tão revoltantes e tão tristes, quando a paisagem que adoravas se transforma em negrume e cinza, as cicatrizes que são tão dificeis de esquecer.

Ao conduzir pelo IP3 é impossivel não deitar uma espiadela pelo vidro e ficar angustiada, é que é tão difícil imaginar o sofrimento, que se torna asfixiante, acho que ainda sinto o cheiro no ar, cada vez que lá passo.

Outubro 20, 2017

m.

Longe de imaginar que a minha tristeza da semana anterior culminava num fim de semana de horror, tragédia e sentimentos de revolta e impotência.

Horror perante a impotência das populaçãoes, dos nossos heróis, que perante um cenário apocalíptico, pouco podiam fazer, porque a incompetência de quem nos dirige nos transporta mais uma vez para uma tragédia que é sempre maior que a anterior.

Revolta por ver o nosso interior já tão devastado, ignorado, despovoado, pela negligência dos governates, ser uma vez mais ferido de morte.

Impotência pelo pouco que posso fazer para ajudar, sei que é insuficiênte e é apenas uma "gota no oceano" de dor e tristeza.

Não sendo moradora na zona antingida, passei por ela na segunda, quando ainda havia fumo espesso, e incêndios, e não consegui evitar as lágrimas, porque é tão triste, tão triste... e depois mais triste ver na tv, não as reportagens sobre os incêndios, mas ver as pseudo-explicações de gentinha arrogante.

Sei que um fim de semana destes preciso de voltar a passar pelo nosso Centro, e estou a preparar-me mentalmente para olhar a paisagem verdejante que eu tanto gostava de desfrutar (quando era possível claro, não descurando a segurança rodoviária, claro), estará preta, de luto, carregando-o ainda durante muitos anos.

 

 

 

Julho 26, 2017

m.

Esta nossa nova epidemia, que nos atinge a todos, as mudanças climáticas, e as suas graves consequências, que são tão e cada vez mais graves.

Cada vez que ligo a TV, os sites de notícias, fico impressionada com as graves devastações que o Mundo está a sofrer e o nosso País em particular, veja-se o caso dos terríveis incêndios que desde há cerca de dois meses, nos afectam. é impossível não ficar indiferente a tanta tragédia, e o sentimento é de impotência, perante tantas e tão graves tragédias.

 Não sendo nem tendo pretensões a especialista, ou qualquer critica, a aposta na prevenção parece-me o caminho ideal, tal como uma doença grave, podemos tratá-la antes de se tornar crónica. Aqui e perante o que vejo foi o que aconteceu, a doença está de tal forma crónica, que o tratamento parece-me quase impossível de conseguir.

Resta replantar a nossa floresta, com um planeamento pensado com "cabeça, tronco e membros",  por todos, deixando as críticas políticas de lado, porque quem é o responsável pela doença somos todos nós.

 

 

Junho 20, 2017

m.

Já tardavam ainda as cinzas não arrefeceram, os mortes ainda estão a ser chorados, ainda há muita aflição e combate a um monstro chamado fogo, e já se iniciaram os debates sempre tão esclarecedores, na nossa tv, agora é o jogo do empurra das culpas e das acusações, mas depois do burburinho, das milhentas horas de directos, de debates, de palpites e opiniões, claro que a culpa vai morrer solteira e muito má rapariga.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub