Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e coisas minhas.

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e coisas minhas.

Agosto 16, 2022

m.

Porque temos de ajudar a economia do País. 

Sai mais ou menos barato, se souberes planear muito bem, e conseguires pechinchas, do género, não pagar alojamento.

Está um calor muito agradável, apesar de eu ser mais adepta de chuva e pouco calor. 

Estás perto de tudo, o que te é querido.

A mesma língua, embora ás vezes até essa seja difícil de compreender.

Mas a maior e mais importante...estão eles. E isso é a maior das razões. 

Dezembro 20, 2020

m.

Este ano tristemente as festas de família tradicionais  estão, não abolidas, mas suspensas, em stand-by. Nestes tempos difíceis para todos, o importante mais do que estarmos juntos é estarmos seguros e sem o perigo de contagiar o outro, e se queremos e amamos a nossa família, reunimos com segurança e menos tempo, ou se pudermos evitar os que nos são próximos, mas não pertencem ao nosso agregado familiar.

Quebrarmos as tradições, sim, mas de modo a ser menos doloroso para todos, estarmos online, é também estarmos presentes, e com todos no pensamento e no coração.

Pouco temos de celebrar este ano quanto a mim. Porque ...

Em homenagem a todos aqueles que neste ano fizeram muito por todos, lá na linha da frente, na retaguarda, a segurar que o país funcionasse em segurança e com segurança para todos.

Por todos os que nunca mais podem celebrar. 

Aos os doentes....

Devemos a todos o NOSSO RESPEITO e CONSIDERAÇÃO 

E pensar no Natal em Família também é isso. Olhar para o Próximo. 

Agosto 02, 2020

m.

Para mim o dia 1 de Agosto,  é um dia, com um misto de emoções contraditórias. Há  anos atrás perdi o meu avô materno neste dia. Mas também foi o dia que recebemos a notícia que a família tinha aumentado. 

Por isso sempre que lhe dou os parabéns, e às vezes a comer aquela fatia de bolo,  dou por mim a pensar com muito carinho e saudade  no meu avô, que foi só o melhor avô que eu tive. Lembro-me das idas à casa dele, noutra aldeia, íamos de autocarro e ele dava-nos sempre um lanche daqueles que terminavam com um gelado à espera do autocarro ou camineta da carreira, como se dizia naquele tempo, embora eu adorasse o gelado epá, tinha de comer sempre o perna de pau, ou o super maxi, que lá em casa não se mastigavam pastilhas (passo a publicidade a esta marca de gelados). 

As visitas dele, sem a respectiva esposa (naquela altura eu não percebia porque é que a senhora não ia lá a casa, hoje já percebo), eram sempre aguardadas com uma alta expectativa (aqueles rebuçados ou chupas ou as bengalas), era sempre uma animação quando ele aparecia, no quintal, a chamar pela minha mãe e depois a fazer-me aqueles carinhos que só os avós sabem....e ele era tão querido naquele chapéuzinho e com a sua bengala e o seu bigode, era a única pessoa da família que o usava, agora um ou outro tio, também, mas na minha infância o dele era único.

Quando adoeceu, foi uma verdadeira tragédia, que demorou, na altura só me deixaram vê-lo enquanto esteve consciente, depois a demência tomou conta dele, e eu fugia com o meu irmão para o vermos ao longe e sem a minha mãe ver, e curiosamente ele sempre nos reconheceu e sempre tinha uma palavra para connosco. 

Quando morreu, a 1 de Agosto, e recebemos o telefonema, ele estava no hospital e apesar de ter e ser uma criança, lembro-me dos choros dos filhos e irmãos , e de nós os netos andarmos a passear pelo cemitério e a ver as campas, e as flores, fazia um calor horrível, e do funeral só me lembro disso, do bem que nós as crianças passamos quando os adultos estavam a fazer a sua despedida. 

Novembro 27, 2019

m.

Isto do nome do ex-Pavilhão Atlântico, foi só para enervar. Porque de verdade chame-se o que se lhe chamar, a entidade promotora deste espectáculo está de parabéns e o André Rieu e Orquestra ainda mais, que espectáculo maravilhoso, fantástico, e divertido na melhor das companhias, a Família. Sim porque como diz o André "A Música une as pessoas".

Foi uma tarde de passeio, aos anos que não tinha nada para fazer, excepto esperar pelos companheiros e pela hora do espectáculo, sabe tão bem, estar a passear com o tempo, ni, e sem ter pressa, stress, um relaxe total.

Ainda pensei ir ver a exposição do Harry Potter, mas não é para mim, já sou crescidinha demais, e cá para nós, que ninguém nos ouve, não me atraiu assim tanto os filmes, vi o primeiro no cinema por engano, e os outros nem para eles olhei, mas atenção eu respeito quem goste e vibre, eu é que gosto de outras coisas, como por exemplo as altas expectativas que tinha para o concerto, e não desiludiu, pelo contrário foram amplamente superadas.

Começamos pelo ambiente envolvente, o público, pouco respeito pelos horários, era para começar às 20:30, e começou, mas a entrada em palco, foi qualquer coisa de diferente e brilhantemente arquitectado, todos os músicos entraram por uma lateral, e foram amplamente aplaudidos, pelo pouco público que ainda estava, principalmente nas plateias, de baixo, exactamente onde deviam estar completas ou quase completas, o André disse, que estavam alguns atrasados, e tinha razão.

O espectáculo de cor em cima do palco eram alegre de se ver, deu-me uma sensação de conto de fadas, ou das princesas da Disney, alegria, e divertimento eram e foram o mote do concerto, com músicas conhecidas e cantadas por todos, risos, alguma neve (surpreendendo os espectadores da plateia), foi tão engraçado do alto do meu balcão ver as caras de surpreendidos. No fim houve mais neve e balões, o nosso pequeno reclamou que também queria um balão, mas nós compreendemos, é difícil cobrir todo o Pavilhão (sim, eu insisto, e não desisto), com aquelas plataformas.

Um espectáculo/concerto memorável, que eu repetiria outra vez e outra vez...até nunca me cansar.

Porque a Música faz-nos bem e provoca-nos sensações e emoções como poucas coisas conseguem.

 

Abril 03, 2019

m.

Nesta fase da vida em que começam a desaparecer aqueles que tu sempre conhecestes e admiraste, estes dias cinzentos e tristes, carregados de tristeza, mas também de lembranças das boas, em que todos juntos recordamos, homens, e mulheres que foram exemplos para toda a família, e que vão ficando velhotes e o seu tempo connosco está a terminar ou já terminou.

Ficam as memorias, dos tempos que passamos juntos.

 

Janeiro 14, 2019

m.

Tinha idealizado o meu fim de semana, fazer isto, ir ali, estar com esta pessoa, passear um bocadinho aproveitando o bom tempo, mas quê? Nada do que planeei consegui fazer, e foi ainda melhor...Porque foi passado com familiares que já não nos víamos desde o longínquo ano passado, em comidas, passeios, convívio e jogos, sim ainda tivemos tempo para jogar ao saudoso "Jogo dos Países", e iniciamos os mais novos neste jogo e eles adoraram embora fizessem batota, bom, eles e nós....porque ferrugem é uma cor, cor de ferrugem, claro.

Assim está bem, deu tempo para tudo menos para os planos feitos, mas que interessa, podemos sempre fazer novos plano, e voltar a alterar,  porque isso ás vezes é o melhor.

Dezembro 28, 2018

m.

Eu gostava de ter uma família grande, não, espera, eu tenho uma família grande, mas as desavenças são tantas e tão grandes que só nos vemos nos funerais e mesmo assim com bastantes reticências.

Tios que acabam com a convivência, porque a irmã morreu e os sobrinhos e cunhado, não são propriamente directos.

Tios que passam por ti e te ignoram, ao menos podiam acenar como fazemos a conhecidos, mas não assim tão amigos.

Tios que mudam de vida, casam, emigram, ou o que quiserem e não te dizem nada.

Primos que andaste com eles ao colo, nas brincadeiras, nas grandes festas comemorativas dos aniversários cheios de mãos peçonhentas, risos, dentes e ossos partidos, joelhos esfolados, zangas, e que após o penso rápido fica tudo bem.

Primos que casam, descasam, tem filhos netos e se perguntas, olham para ti com cara de parvos, é filho do teu primo XYou Z, e tu nem sonhas como a vida passou assim da meninice para a idade adulta, onde tudo o que parece é, e infelizmente não é bom de se ver ou sentir.

Felizmente que se safam ainda alguns poucos elementos, e são desses e com esses, que me devo importar, os outros são familiares conhecidos.

 

 

 

 

 

Dezembro 17, 2018

m.


Que bom que é estar de férias no Inverno, sabe tão bem não ter o despertador a atormentar-nos quando amanhece, não ter horários definidos, poder estar na conversa sem a preocupação do picoponto, da jantas, dos horários, uma alegria não ter nada programado e poder estar ao sabor do momento.

E sendo o primeiro dia já aconteceu muito, pinheiro e presépio feitos; fruta da época apahada e alguma degustada, que tangerinas tão doces, ficamos "peganhentos" e com os pés molhados e sujos, mas o que interessa isso quando podemos sair das cidades e apanhar e estar no ar puro do campo, compensa qualquer inconveniente que o campo possa ter.

Depois da cozinha arrumada, tempo de irmos à reciclagem, que o fim de semana foi de muitos desperdicios que podemos e devemos reciclar, e foi aqui que encontramos aquela senhora, que é avó do F. e do D., claro que para mim já era a prima B. antes de seres sequer projecto, e foi uma boa meia hora de conversa, e risos e boa disposição que o tempo está quente e não temos nada de tarde planeado por isso vamos convivendo e vivendo, que estas pessoas da nossa aldeia estão a ficar velhinhas e começam a desaparecer, mais rápido do que o desejável. 

E como  a morte também faz parte da vida e aqui ainda funciona o aviso pelo sino, eis que estavamos a conversa e aparece o senhor de uma agência a colocar os papéis do falecimento/funeral da Dona L. assim ficámos a saber que amanhã ás 16:00 vamos todos acompanhá-la na sua última viagem.

 

 

Setembro 24, 2018

m.

 

 

"-Tia, o teu telemóvel está tão lento!

-É da rede, e os dados móveis que estás a gastar...Já estou habituada.

- Sabes, podias comprar outro telemóvel para ti e dás-me este, podes?

- Não a vida está berinha, e tenho de me desenrascar mesmo com este telemóvel lento. "

 

Gosto principalmente da forma pedincha como ele olha para mim, quase que implorando.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub