Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e coisas minhas.

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e coisas minhas.

31
Jul20

Agosto à vista....

m.

O mês das férias por excelência, e o quase final do ano, porque depois deste mês passado, é Outono, e depois Inverno e finalmente termina 2020....

Agosto para mim é sempre um mês de mudança, um depois e um antes.

Este ano é uma incógnita e um desconfiar de tudo e de todos, nada é ou será igual.

O que nos reserva o futuro, não sabemos, o presente estamos a vivê-lo com cuidados redobrados.

Este ano até nisto é "especial", as nossas férias serão diferentes e estranhas, mas não podem deixar de ser dentro de tudo as nossas férias em tempos de COVID-19, e só por isso infelizmente, serão sempre diferentes. 

28
Dez18

O fim das férias .....

m.

 

Snif....snif...agora só para o ano, ah espera temos ai uns dias já para a semana. Que bom, este período é como quase um sonho, as férias há tempo para quase tudo (isto de estar na aldeia tem mesmo que se lhe diga), largo o relógio, o despertador, apenas sigo as horas pelo sino da Igreja, e a sensação é de calma, relaxamento como um spa só nosso, uma qualquer terapia que nos ajuda a recolher energias e a recarregar baterias para o próximo ano que se aproxima a passos gigantes.

 

 

 

17
Dez18

A felicidade de estar de férias

m.


Que bom que é estar de férias no Inverno, sabe tão bem não ter o despertador a atormentar-nos quando amanhece, não ter horários definidos, poder estar na conversa sem a preocupação do picoponto, da jantas, dos horários, uma alegria não ter nada programado e poder estar ao sabor do momento.

E sendo o primeiro dia já aconteceu muito, pinheiro e presépio feitos; fruta da época apahada e alguma degustada, que tangerinas tão doces, ficamos "peganhentos" e com os pés molhados e sujos, mas o que interessa isso quando podemos sair das cidades e apanhar e estar no ar puro do campo, compensa qualquer inconveniente que o campo possa ter.

Depois da cozinha arrumada, tempo de irmos à reciclagem, que o fim de semana foi de muitos desperdicios que podemos e devemos reciclar, e foi aqui que encontramos aquela senhora, que é avó do F. e do D., claro que para mim já era a prima B. antes de seres sequer projecto, e foi uma boa meia hora de conversa, e risos e boa disposição que o tempo está quente e não temos nada de tarde planeado por isso vamos convivendo e vivendo, que estas pessoas da nossa aldeia estão a ficar velhinhas e começam a desaparecer, mais rápido do que o desejável. 

E como  a morte também faz parte da vida e aqui ainda funciona o aviso pelo sino, eis que estavamos a conversa e aparece o senhor de uma agência a colocar os papéis do falecimento/funeral da Dona L. assim ficámos a saber que amanhã ás 16:00 vamos todos acompanhá-la na sua última viagem.

 

 

27
Dez17

Fui de férias no Natal

m.

 

Queria eu um tempinho para ler, para ouvir música para relaxar ao quentinho da lareira, mas nada disso, as férias foram uma grande "cowboiada", vimos comboios a passar, cavalos, vaquinhas, terras cujos nomes não lembram a ninguém, passeamos pelos parques, roubamos uma vista a um museu, fomos ao Natal, comemos plástico, rimos bastante, fizemos asneiras, ficamos desiludidos e depois contentes, tivemos companhia, fizemos companhia ao avô, fomos ver os "velhinhos", fizemos festinhas aos cavalos, comemos que nem uns alarves, corremos monte acima, e além disso ainda tivemos tempo de fazer os deveres escolares, mas poucos, porque férias são férias, e a malta quer é divertir-se e cansar-se.

 

O melhor de tudo é que a diversão continuou no Natal, e não é que apareceu o Pai Natal carregadinho de prendas, e com ar cansado e velhinho, pedimos-lhe que descansasse, mas ele estava apressado e só teve tempo de um copo de leite branco e duas bulachas.

 

P.S. bulachas é assim que se escreve, como diz uma criança.

20
Set17

E as férias ????

m.

Pois foram mais cansativas que de relax, mas não as trocava por nada, até ter ido ver aquela tourada na Praça mais emblemática do País, e eu odiando touradas.

Se não vejam, crianças na praia a jogar a bola com o avô, eu relaxadinha a ler e a "tostar", a divertir-me a  grande sem me cansar, chegar a casa fazer um jantar levezinho e ir ver a "Clara" porque sem ver a "Clara" não se dormia, ainda que muitos dias a "Clara" fosse apenas em sonhos, porque o homenzinho adormecia em minutos de tanta correria e jogar o futebol.

Zero despesas de alojamento, claro que alimentação e gasóleo/gasolina, são normais se estivéssemos a trabalhar também tínhamos gastos; estar a menos de 30 Km da praia e a menos de 20 da montanha, desfrutar de campos verdejantes, de castelos e vilas medievais tudo sem sair da zona.

Conseguir ir á capital desfrutar da noite Lisboeta, fazer compras num CC, a menos de 100 Km....um contra não vi a Madonna.

Jogar ás raquetes com um verdadeiro profissinal e aprender os truques, certo eu prometo começar a treinar, para o ano á mesma hora pode ser? Obrigado R.

Desenvolver a actividade da agricultura, com novas experiências, obrigado P. aquelas caixas salvaram-nos os passos e as subidas.....

Em relação á tourada, valeu pelo reencontro familiar e ver a alegria de um pequeno aficionado, que quando chegou ao local não parava de pular e gritar de alegria, por ver todo o ambiente de festa, e os cavalos e os forcados e tudo o resto.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar