Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

a herança do vazio

a herança do vazio

27
Fev18

Madeline Hunter (Série As Flores Mais Raras)

m.

Eu adoro ler, e descobri que ás vezes ler "em série" é muito fixe, ler todos os livros seguidos de uma assentada é como ver todos os episódios da nossa série favorita num fim de semana.

Aconteceu-me isto com a série As Flores Mais Raras desta autora, conhecer aquelas mulheres extraordinárias, que lutam por justiça e pela verdade, sem nunca baixarem os braços e em meios marcadamente masculinos fazem prevalecer a sua opinião e a sua verdade.

Os títulos dos livros não podem ser mais sugestivos, Deslumbrante; Provocadora; Pecadora; Perigosa, e as histórias tendo como inicio uma casa dirigida por uma das mulheres, onde ninguém fala sobre o seu passado e o motivo de precisar da companhia de outras mulheres e de se refugiar naquele local, As flores Preciosas é  o negócio iniciado, por alguma outra mulher no passado, e serve para todas as mulheres terem um meio de subsistência e não estarem dependentes de nada nem ninguém.

Mas como em todos os romances, aparece o "príncipe encantado", ou o par para cada uma delas. E cada livro tem um para romântico, ao longo de todos os quatro livros aparecem com maior ou menor destaque as personagens secundárias.

Foi uma série sempre em crescente, cada livro melhor do que o anterior, no terceiro e apesar de ser um Romance Histórico há a referência (errada) a um contacto telefónico, e eu que estava adorar a história fiquei um tanto desiludida, mas foi só com isso, perdeu um bocadinho da sua magia. Essa magia foi conseguida no último livro Perigosa.

A escrita da autora era-me já conhecida, e não me desiludiu, bem pelo contrário, em todos os romances há cenas muito boas, de amor, humor, aventura, perigo, amizade, companheirismo e um valor que cada ver se perde mais na Humanidade, entre-ajuda a quem dela necessita, sem segundas intenções, excepto com o nosso Duque, em que todas as acções são estudadas e calculadas de modo a obter um fim, mas até esse fim é louvável, e sempre em nome de uma amizade ou simpatia.