Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e finalmente as minhas leituras e os meus livros.

a herança do vazio

Blogue de pensamentos, acontecimentos, experiências, viagens e finalmente as minhas leituras e os meus livros.

18
Abr19

Alívio, consternação e Páscoa

m.

Alívio, porque já não há aquele sentimento de pressão, sobre os combustíveis e a loucura que se instalou um pouco por todo o país. Quando comecei a ver aquelas filas enormes e os perigos, que a falta dos combustíveis nos fazem, a dependência que afinal todos nós temos de uma indústria, que se quiser para tudo e todos.

Consternação, pela dolorosa tragédia na Madeira, com tantos mortes.

 A importância do cinto de segurança, que felizmente de há uns anos para cá também existem nos autocarros, é obrigatório, embora a maioria das pessoas não ligue, mas se os colocamos nos carros e somos multados, porque não também nos autocarros.

Páscoa uma época de reunião familiar e de Paz.

16
Abr19

Notre Dame

m.

Ontem foi uma tarde, estranha, triste e de expectativa. Depois do trabalho não tenho por costume ligar a tv, mas ontem passei por ela e liguei, não sei por quê. Quando vi "última hora", fico  apreensiva e o som mais alto, mas continuavam a falar e não me parecia que fosse da "ultima hora", leio o rodapé, e mudo para um canal de notícias e ai sim, fiquei perplexa, apavorada, ao ver a dimensão do fumo e das chamas, medo por  perdermos, não um Edifício, não uma Igreja, mas um Símbolo Universal, pela sua  história e cultura,a ele associados e que nos habituamos a que esteja sempre por ali, sobreviveu a guerras e a revoluções, e estava ao vivo através das nossas televisões, a ser consumido pelas chamas e nós não conseguimos deixar de olhar, de ver e de perceber o sem sentido da situação.

 

11
Abr19

Reaproveitando

m.

20190411_202357(0).jpg

Desde o dia que resolvi abrir ao meio  uma embalagem de pasta de dentes, e vi que existia quase mais  uma semana de pasta, as minhas embalagens nunca mais foram para a reciclagem se serem completamente limpas de produto. 

 

10
Abr19

La voz

m.

Segui, mais ou menos assiduamente o programa La Voz, versão espanhola, eles têm o Fonsi, sim esse mesmo o do Despacito, entre outras músicas também elas Hits,  no jurado....é de cair para o lado, quando vi o anúncio e o vi, mais que não fosse por ele comecei a ver o programa, eles são tão bem dispostos, todos talvez a menos "simpática seja a Paulina, mas até dessa que pouco sabia, fiquei a conhecer. Os concorrentes lá como cá sempre temos os nossos favoritos e muitas vezes nem concordamos, mas eles é que são os espertos e lá sabem porque passa um em vez de outro, Agora e hoje é a final e está o Alejandro a ser entrevistado pela Eva, que diz que se tiver que falar com ele vai desmaiar...estou à espera desse momento emocionante. Não aconteceu só paleio que consigo apanhar pela mentade, porque ainda me "engaleio" com a velocidade do discurso, mas os finalista cantam bem. 

Epá a Paulina tem um vestido com mais tecido nos ombros, que no restante. Este foi o momento má lingua afiada......

09
Abr19

Eu sou de chuva

m.

20190408_084727.jpg

Ontem aproveitei para finalmente comprar um chapéu de chuva, estava a chover um bocado e rendi-me a este "objecto, só para não parecer mal ás pessoas que passaram por mim e me viam sem chapéu, molhada, mas a não querer saber (o nariz a pingar de hoje, não conta), e é também a minha homenagem a este tempo maravilhoso de chuva, em que eu me sinto revigorada.

Hoje acordei cedo, ouço desde as cinco da manhã cair forte e ao som da chuva o chilrear dos passarinhos, que entretanto começaram a fazer os ninhos na minha vizinha, a árvore.

07
Abr19

Fim de semana

m.

Bem, que fim de semana tão meu, só eu, a fazer o que quis, sem imposições, compromissos ou obrigações. 

Relaxei,  caminhei ao som da chuva e do frio, vi filmes (não séries), como há anos não fazia seguidos e sem intervalos, ouvi música e descansei,..tomei café, tomei chá à janela vendo a chuva abençoada, li aninhada no sofá com a manta e o chá fumegante, e fiz as obrigações caseiras, se calhar até me cansei mais porque limpei coisas que andavam negligenciadas, e sim estou cansada, mas recompensada.

Obrigado por este primeiro fim de semana de chuva e felicidade como há meses não ouvia os passarinhos cantarem de felicidade. 

04
Abr19

O Som do Mastigar - Das Coisas que Não Suporto

m.

Este insuportável nem precisa de justificação ou argumentação. 

É tão horrível, que fico sem vontade de comer.

Quando isto acontece na tv, é para lá de insuportável.

Sorverem a sopa. fico

Mastigarem de boca aberta.

Perder a comida nos bigodes/barbas/nos cantos e não terem a decência de se limparem....

Podia continuar, mas acho que estou a ficar enojada

04
Abr19

Abril bem vindo

m.

Sei que já venho uns dias atrasada (4), mas não tem sido fácil, e hoje sinto-me contente, não feliz, contente, por ver esta chuva, este mês que é para mim tão especial, a criança vai "casar " os anos, 8 no dia 8, a F. é uma querida amiguinha, muito tagarela e muito fofinha.

Abril também é para mim um mês de renovações e aquele mês em que há mudanças. Começam as primeiras culturas (odeio favas, mas já se comem cá por casa), as batatas estão viçosas, começam a despontar as primeiras vagens de ervilhas, as flores das árvores provocam-nos encantamentos e deslumbramentos.

Um mês de esperança.

Abril águas mil, mas com peso conta e medida para não estragar, só aliviar e ajudar os que precisam tanto dela, ou seja TODOS.

 

03
Abr19

Entes queridos

m.

Nesta fase da vida em que começam a desaparecer aqueles que tu sempre conhecestes e admiraste, estes dias cinzentos e tristes, carregados de tristeza, mas também de lembranças das boas, em que todos juntos recordamos, homens, e mulheres que foram exemplos para toda a família, e que vão ficando velhotes e o seu tempo connosco está a terminar ou já terminou.

Ficam as memorias, dos tempos que passamos juntos.

 

25
Mar19

A autoestrada A 24

m.

As minhas viagens mensais são um bocadinho, cansativas, caras e longas, e ontem apagaram as luzes, ou melhor, a A24 continua ás escuras e sem luz, mesmo nos acessos às estações de serviço.

Será que o absurdo de euros que pagamos não dá para pagar à companhia de electricidade e se em vez de estarem os candeeiros TODOS apagados, não haveria outra solução senhores da concessionária, que só vêm euros à frente???

Claro que reclamo e vou reclamar, num País cheio de sol, vento e mar, acho um absurdo não se aproveitarem estas energias para produção de eletrecidade, por exemplo.

 

 

22
Mar19

Isto de ter e manter um blogue...

m.

Dá trabalho,  requer uma atenção, não diária, porque há muitos outros afazeres, mas pelo menos semanal, e eu, ainda não entrei mesmo nesta rotina, tenho ás vezes lacunas de ideias, e o que mais me custa nem são os posts, são os títulos, faltam-me ideias, e depois vou ver e já tenho um parecido, e deixo sempre para o fim.

Tamanho e tipo de letra, essa é outro dos meus "karmas", só me lembro ás vezes já o pobre do post estar publicado, ou agendado, volto a abrir e editar vezes sem conta.

Outra coisa ainda que me deixa muitas vezes a pensar, as tags....pois é, é sempre um "pequeno pesadelo".

Fotos, imagens sei que tenho poucas, porque publico pelo telemóvel e edito no pc, complicado, sim, mas tem mesmo de ser.

Mas no fundo, no fundo, gosto mesmo disto e de vir aqui, se não escrever, pelo menos ler os blogues que sempre sigo, que são cada dia melhores.

22
Mar19

Tragédia Mundial

m.

É com choque e horror, que tenho acompanhado as notícias em Moçambique, impotente e aterrorizada com tanta infelicidade de um povo atormentado por guerras, corrupção, e uma natureza contra.

Tão desolador, uma região e um povo, homens, mulheres e crianças tragicamente afectados e impotentes, fico de coração apertadinho perante as imagens e o pouco que se pode fazer para  o seu auxilio.

Força Moçambique.

21
Mar19

Um banco de jardim

m.

20190310_110646.jpg

 

Um banco de jardim, ali colocado só para nós olharmos e contar as pedras do muro, as folhas dos ramos,  pensar, meditar,  aproveitar para colocar a conversa em dia.

Muito havia para dizer deste banco, só que não, está ali sempre só, isolado dos seus outros "irmãos bancos" e a paisagem não ajuda, passam por ti e ignoram-te, desprezam-te, quase como o que se passa com os seres humanos.

Acho que no fundo este banco é tão parecido com a maioria de nós isolado, sozinho, alheado de tudo e de todos.

Um banco também pode ser uma ilha.

07
Mar19

Dia de luto pelas vitimas de violência doméstica

m.

Felizmente não sofro, nem vi ou vejo os mais próximos, mas já partilhei paredes com vitimas e agressores e é horrível, apesar dos apelos, telefonemas, quase todos os dias, quando aquele odioso (não consigo chamar-lhe outro nome) chegava a casa, eram portas a bater, gritos, choros, objectos partidos e gritos insanos de mãe e crianças. A policia tocou tantas vezes à campainha, que se tornou "normal", e depois nada, parava o barulho, apenas com uma conversa com o odioso, e ele prometia e jurava que parava e justificava-se, mas nunca ouvi ou vi mais nada que isto. Parava um dia ou dois e depois mais uma noite insana.. e assim continuavam, não sei o que aconteceu, porque depois mudei-me de cidade, mas são pessoas (menos o odioso), das quais me lembro muitas vezes.

É triste, estes dias em que há um apelo à consciência de todos os seres humanos, estes dias não deveriam ser necessários, e abrimos as notícias, mais uma vítima, é todos os dias a mesma coisa e nós impotentes, o que poderemos fazer, sem termos o poder de agir, ou a nossa pouca acção pouco ou nada muda.

Políticos e associações que defendem, promovem, as acções não deveriam ser só nestas datas tristemente recordadas, as acções tem de ser todos os dias a todas as horas.

É urgente os que detêm o poder e o dever de agir, começaram já, porque para muitas (os), já é muito tarde.

05
Mar19

A ver o amor, em carro

m.

Nesta nossa nova "renovada " tv é só encontros amorosos, em carro, em restaurante, em plena natureza, mães que se tornam cupidos, arriscando ser lamechas, estou abismada com os conceitos e goste-se ou não, indiferentes não ficamos. 

 

27
Fev19

Dieta versus diet

m.

Pois é calor, roupas mais leves e mais exercício físico. Tudo para poder estar okay no bikini....ou só que não, é mesmo para me sentir com saúde e prevenir as malditas doenças.....

Apesar de continuar a caminhar mudei a minha alimentação em qualidade e quantidade. 

E sim estou naquela fase de dias, ou refeições sem carne e ou peixe. E as gulodices também passaram a ser quase inexistentes, só que há dias que apetece aquele bolo apetitoso cheio de creme da pastelaria, o que fazes, cedes à vontade ou ficas consumida de vontade e não paras de pensar naquele bolo super delicioso....pois foi isso mesmo que fiz, cedi ao impulso e comi aquele eclair, com os fios de ovos e para cúmulo comprei uma cola diet, só para contrabalançar. Mas como tudo quando estamos perante o objecto desejado ele já não me soube como eu pensava que me saberia, e o que me consolou mais do que o bolo (e não o comi inteiro) foi a diet, essa sim fresquinha e saborosa e como era de diet não fez mal nem alterou a estrutura da dieta...Desde ai evito passar naquela rua, com a pastelaria com aquele eclair....

 

24
Fev19

O festival da canção

m.

Aquela noite mágica onde se ouvia boa música, com alegria e mais ou menos estilo, sempre foi um bocadinho controverso em relação às fatiotas que os músicos vestiam. De há uns anos para cá, confesso desliguei completamente do festival, até que o Salvador foi mágico. Nem essa edição eu vi, só que foi tanta a polémica, que logo naquela segunda fui ouvir, e adorei, logo naquela primeira frase. Ele até podia não ganhar no estrangeiro, como de costume, mas para mim era um vencedor, a música é linda.

O ano passado, não é que não tenha gostado da música, mas acho que faltou ali aquele clique mágico. E depois na final em Lisboa foi mesmo mau, ganhou uma galinha, ai pensei, bem isto do Euro-festival vai perdendo qualidades, e este ano a nossa primeira semi final deixou-me um bocadinho apreensiva, E depois de ver ontem a semifinal, então desisto, é que não há uma música que me entusiasme, e quando não há música que nos chegue à alma, não vale a pena perder tempo a ouvi-la.