Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

a herança do vazio

a herança do vazio

14
Jun17

Turismo por Itália #2

m.

Pisa, não sei se foi a expectativa do que ai vinha, mas na nossa curta estadia em Pisa apenas estivemos na Torre e na Catedral eu não entrei. Percorri o mercado, e comprei alguns souvenirs, para mais tarde recordar. A explicação que nos deram para a inclinação, foi da Torre ter sido construída sob terreno "pantanoso", e de um lado ainda na construção os alicerces começarem logo a afundar, os engenheiros da época tentaram corrigir, mas com o tempo, a correcção não é suficiente. Espero que não caia, porque é linda, com todas as esculturas e colunas á volta, as fotos não lhe fazem justiça. Esta cidade não estava planeada, mas como fica perto de Florença, o nosso próximo destino, abdicamos de duas horas e passamos por lá.  

Florença já sabia que era a Cidade do Renascimento, que nela habitaram e viveram o Miguel e o Leonardo, o Boticelli, e tantos outros pintores, escultores e homens que deixaram a cultura Mundial, muito mais rica, mas não estava preparada, não estava, e quando descemos do autocarro e nos dirigimos ao hotel, e comecei a ver reproduções da cidade, fiquei mais do que ansiosa para a conhecer.

A nossa primeira paragem e ainda antes de entrarmos na parte "mais" histórica e turística e conhecida, foi o Miradouro da  Praça Michelangelo, ou como nos explicou   o motorista do autocarro Florentino de Nascimento, Miguel Angelo com Florença a seus pés, e na realidade deste ponto as vistas são absurdamente espetaculares, inesquecíveis. E como estamos em época de quase Outono, vemos ao longo a beleza da cidade, e as nuvens carregas de chuva, para a qual já nos tinham alertado.

Na verdade,  mais do que dos monumentos, dos museus, do casario, das lendas e histórias milenares, das excelentes paisagens, falo do encantamento que esta cidade teve sobre mim, não estava á espera, de ficar a amar esta cidade. Ficou no meu coração.


Assis, uma cidade medieval, a cidade de São Francisco de Assis, de uma beleza única, cada rua, cada monumento são únicos, um retrocesso no tempo, uma paz que se respira, espiritual, cultural, longe das multidões de turistas, podemos percorrer com calma e tempo as suas ruas e apreciar a paisagem envolvente.

 

Roma, a cidade imperial, que todos conhecemos e reconhecemos, uma capital polvilhada de história, que se respira a cada passo que damos, uma cidade onde conduzir é um sério problema porque é uma grande confusão pelo menos para mim, é o salve-se quem puder, medo, felizmente andamos de autocarro e também a pé, muito a pé. Um dos locais que me ficou na memória por ser tão arrepiante e horrível foram as catacumbas. Os vestígios romanos que perduram até aos nossos dias, o bom e o mau. Aprender com o passado e com a história, pessoalmente acho que sim, vamos sempre repetir os erros do passado.

Em Roma, e com mais um bocadinho de liberdade...deu para nos embrenharmos nas ruelas e na confusão de Roma, ai sim uns turistas de mochila +as costas, com o mapa a mão e a tão indispensável máquina fotográfica.

E o Vaticano, bem tive a honra de ouvir uma Missa Papal, e de acenar a Sua Santidade, foi mais um dos momentos altos desta magnífica viagem, No Vaticano e sendo uma fã assumida de Miguel Ângelo, se não me puxassem ainda hoje estaria a absorver a maravilhosa Capela Sistina.

Uma viagem muito proveitosa, em termos culturais e pessoais.