Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

a herança do vazio

a herança do vazio

12
Jun17

Turismo por Itália #1

m.

A propósito do Santo António, amanhã é feriado e eu sempre gostei da noite de Santo António em Lisboa, adiante, que isso agora não interessa.

Lembrei-me da minha viagem de sonho a Itália. Começamos por Milão; Pádua; Veneza; Pisa;  Florença, Assis  e finalmente Roma e Vaticano. E excursão com guia e tudo  é bom, mas por outro lado ter horas para estar aqui e ali, não teres a liberdade de passear por outros locais menos turísticos é sempre uma questão que pondero, sou muito de liberdade de passear por outros locais que menos conhecem.

Como foi há algum tempo, lembro-me ainda das sensações, das paisagens, do casario, dos monumentos e do horror dos pombos em São Marcos.

Milão, uma cidade in, um misto de modernidade com bom gosto, associada a grandes marcas, e para mim o encanto maior, a Catedral, as Galerias,  o Estádio de Futebol do AC Milan, Giuseppe Meazza, ou San Siro, já gostei muito de futebol o que posso dizer, o Teatro La Scalla, foi como retroceder séculos e foi uma visita relâmpago  um dia, mas foi um dia em cheio. Lembro-me de andar muito, percorrer a praça de uma ponta á outra,  e ter uma perspectiva, total da Catedral e as fotos são muito boas, mas nas memórias retemos as sensações, os cheiros, as associações com objectos e pessoas.

Pádua, a nossa rival, directa, e bom conhecendo as duas Basílicas, não sei para qual o meu coração inclina, mas nesta Basílica, vendo as relíquias do Nosso Santo António, tendo uma pequena conversa com um Padre sobre o assunto, entendo a reclamação deles, mas mesmo assim Santo António é e será sempre NOSSO.

Tinha piada vir a Itália e não visitar a famosa e maravilhosa cidade de Veneza, bom, que encantadora, tivemos a possibilidade de a visitar de noite, e de dia, o encanto místico e mágico da noite, é qualquer coisa do outro mundo, voltar na manhã seguinte com o amanhecer, é ver as duas faces da mesma moeda e não saber qual escolher. De noite temos a calmaria, o sentirmos a cidade quase só para nós, um brilho especial,  de dia a confusão, os encontrões, os gondoleiros, os vendedores ambulantes, toda a confusão inerente a uma das cidades mais visitadas e famosas do Mundo, mas que tendo a possibilidade de por terra, ou através dos canais percorrer as suas ruas, imaginar cenas (Donna Leon, Morte no Teatro La Fenice), locais vistos e lidos , sentir que fazes parte de algo maior que tu, mas que também te pertence naquele momento que estás ali, é indescritível. Mau: Pombos na praça de São Marcos; O Gondoleiro "cantava fatal", mas com a nossa ajuda atinou, o cheiro dos canais........