Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

a herança do vazio

a herança do vazio

18
Mai17

Guimarães

m.

Passeio pela Feira Afonsina - Guimarães (Junho 2015)

 
A cidade, já conhecia, ou melhor conheço em parte, porque quer queiramos, quer não, nunca se conhece na totalidade uma cidade, há sempre uma coisa nova que decerto não estava lá na vez anterior, ou se estava não lhe demos a devida importância.
 
Desta vez, em Guimarães foi a descoberta da Feira Afonsina, na companhia da I. e da S., adorei cada momento, até mesmo aqueles momentos de sol na moleirinha, em que tinha os neurónios a dormir a sesta.  A subida em teleférico (medo) ao Santuário da Senhora da Penha,  uma aventura oscilantes, por entre os penedos....
Da feira gostei do pouco que vi, e tendo em consideração o que me disseram, e vi na tv, se calhar vi mais e melhor do que muitos dos visitantes tardios;
O almoço, é sempre um acontecimento, a escolha do petisco, optamos por pão com chouriço, grande e bem recheado, uma limonada com copo, fresquinha e saudável, e depois uma sobremesa que não consigo colocar um nome, mas sabia a batata doce e tinha nozes, era fofa e soube bem.
Os trajes, a música, os usos e costumes, as armas, estavam espalhados por todo o recinto do Castelo. Foi pena não ter podido ver as demonstrações, mas á hora da sesta até os artistas têm de descansar.
 
Da Penha, foi toda uma descoberta para mim, os penedos (adoro), a vegetação que soube tão bem,  o sol abrasador, as grutas descobertas, os nichos, o Santuário simples mas a merecer uma visita mais demorada e mais sentida, as vistas sobre a cidade e até onde a vista alcança (da próxima levar binóculos). Os penedos, os pregados nas rochas os suspensos sobre as mesmas, a tasca.